Só de sacanagem

Pois é queridos, neste período de férias minha vida se tornou uma verdadeira poesia, quem quiser conferir o resultado passe lá no blog Pensamentos, vocês irão entender do que eu estou falando.
Pois então, foi nesse belo passeio pela poesia que me deparei com o fantástico Poema Só de Sacanagem, da Elisa Lucinda. Ouvi, li, reli, ouvi de novo e a cada nova leitura ou audição eu me encantava mais com os versos que se arrumavam diante de mim.
Resolvi compartilha-lo com vocês,  pois creio que ele é um reforço à nós, professores, "um gás", um pedido de "continuem lutando" e por que não dizer uma esperança.
Estamos vendo quanto estardalhaço as vozes dos professores, unidas, podem causar em nossa sociedade, estejam eles certos ou não. E dai?  Estão lutado pelo que acreditam, correm atrás daquilo que acham correto. Isso basta!  
Ler este poema foi como ouvir a vós de todos estes professores que estão em greve no país, que estão cansados de serem tratados, sempre menos do que deveriam, que estão desanimados pois veem a educação sendo jogada pelos bueiros da impunidade, da desonestidade, da corrupção e tantas outras "sacanagens" que estão acontecendo em nosso país.
O poema abaixo, publico e dedico a todos os professores que, em greve ou não, lutam pela educação, que acreditam e que principalmente, não se deixam levar pelas lábias da desonestidade.


"Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda eu vou ficar. Só de sacanagem!"

O poema...

Meu coração está aos pulos!
Quantas vezes minha esperança será posta à prova?
Por quantas provas terá ela que passar?
Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos duramente pra educar os meninos mais pobres que nós, pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais.
Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.
Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova?
Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais?
É certo que tempos difíceis existem pra aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz.
Meu coração tá no escuro.
A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e os justos que os precederam:
" - Não roubarás!"
" - Devolva o lápis do coleguinha!"
" - Esse apontador não é seu, minha filha!"
Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar. Até habeas-corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha visto falar, e sobre o qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará.
Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda eu vou ficar. Só de sacanagem!
Dirão:
" - Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo o mundo rouba."
E eu vou dizer:
"- Não importa! Será esse o meu carnaval. Vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos. Vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau."
Dirão:
" - É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal".
E eu direi:
" - Não admito! Minha esperança é imortal!"
E eu repito, ouviram?
IMORTAL!!!
Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quiser, vai dar pra mudar o final.

0 comentários :

Postar um comentário

Faça seus pensamentos presentes! Nunca se cale!!!
Obrigada por comentar!

 
Layout feito por Adália Sá | Não retire os créditos